Rodoanel Norte
Acessibilidade A+ A- C

DERSA faz casamento comunitário para moradores de bairros próximos ao Rodoanel Norte

Ao som da Banda da Fábrica de Cultura do Jaçanã, acompanhados de familiares e amigos, 31 casais, moradores dos bairros Jardim Brasil Novo e Jardim Corisco, oficializaram a união neste sábado, 13 de junho

Cerimônia realizada por juiz de paz reúne 31 casais e convidados no Dia de Santo Antônio

São Paulo, 13 de junho de 2015 - Ao som da Banda da Fábrica de Cultura do Jaçanã, acompanhados de familiares e amigos, 31 casais, moradores dos bairros Jardim Brasil Novo e Jardim Corisco, oficializaram a união neste sábado, 13 de junho, no Casamento Comunitário do Rodoanel Norte. A cerimônia, no dia de Santo Antônio, foi realizada no Centro de Integração da Cidadania (CIC), no Jaçanã.

O casamento é uma iniciativa da DERSA e da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, por meio do CIC, e faz parte do Programa de Apoio Social e Desenvolvimento Comunitário da Companhia, que tem o objetivo de contribuir na melhoria da qualidade de vida das famílias do entorno do Rodoanel Norte. 

“É mais um evento que envolve as comunidades vizinhas ao Rodoanel Norte e mostra que a DERSA está atenta à sua função social, sempre promovendo ações que levam benefícios aos moradores”, diz o gerente da Divisão de Gestão Social da Companhia, Luciano Dias Lourenço. “A DERSA não se preocupa apenas com a obra, mas também com as populações que fazem parte das regiões próximas ao empreendimento”.

Aos noivos, foi fornecida toda a estrutura para o casamento: decoração, fotógrafo, bolo, doces, salgados e espaço para as crianças. A cerimônia foi celebrada por um juiz de paz e acompanhada por cerca de 100 convidados.

O evento foi gratuito aos participantes. As inscrições foram abertas em 23 de fevereiro e encerradas em 15 de maio. Para orientar os noivos sobre a documentação necessária, a DERSA disponibilizou o atendimento das equipes dos três Plantões Sociais instalados nas proximidades do empreendimento, que visam tirar dúvidas das comunidades sobre a obra e acompanhar as demandas da população. 

Mesma linha

O motorista de ônibus Agnaldo Carreira, 48, e a cobradora Tânia Cristina Sterce da Silva, 45, formam um dos casais que oficializaram a união neste sábado. Eles se conheceram há 13 anos dentro de um ônibus. “Estávamos trabalhando na mesma linha”, lembra a noiva. “Este casamento comunitário me fez realizar o grande sonho da minha vida”, diz Tânia, entre lágrimas.

Também era o sonho do enfermeiro Ricardo Stricagnolo, 36, e da pedagoga Uliana Cocev, 37, que estão juntos há 14 anos. “Já temos uma filha de 7 anos”, conta o noivo, que confessa a antiga vontade de formalizar a relação. “Fiz uma surpresa para ela e só avisei quando já tinha feito a inscrição”. 

A dona de casa Jusiléia Araújo de Souza, 40, e o aposentado Amaro Severino dos Santos, 66, também disseram seu “sim” neste sábado. O casal vive junto há mais de uma década. “Nós nos conhecemos numa entrevista para trabalho”, conta Jusiléia. “Ele ficou me encarando e de repente veio me dizer que estava apaixonado”, diz a noiva, entre sorrisos. “Foi uma loucura, mas já dura 12 anos e agora virou uma loucura de papel passado e tudo”. 

Este foi o segundo casamento promovido para moradores das regiões próximas ao empreendimento. O primeiro, em junho de 2014, foi realizado para 18 casais de Taipas, Jardim Paraná e Jardim Damasceno, em São Paulo. Para este ano estão previstos mais dois: em Taipas, São Paulo, e Cabuçu, Guarulhos.

Sobre o Rodoanel Norte

O Rodoanel Norte é a maior obra rodoviária financiada pelo BID no mundo. A rodovia terá 44 km de extensão e interligará os trechos Oeste e Leste do Rodoanel. Tem início na confluência com a Avenida Raimundo Pereira Magalhães, antiga estrada Campinas/São Paulo (SP-332), e termina na intersecção com a rodovia Presidente Dutra (BR-116). O trecho prevê acesso à rodovia Fernão Dias (BR-381), além de uma ligação exclusiva de 3,6 km para o Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Com sua construção, o tráfego de passagem, sobretudo o de caminhões, será distribuído e desviado para o entorno da Região Metropolitana de São Paulo, melhorando o fluxo nas marginais e, consequentemente, o trânsito dos veículos de transporte coletivo. Estima-se redução de 23% do VDM (volume diário médio) de caminhões na marginal Tietê, o que representa uma diminuição de 17 mil caminhões por dia após a conclusão da obra.