Novidades
Acessibilidade A+ A- C

Alckmin dá início às obras do Rodoanel Norte

O valor total do empreendimento, incluindo desapropriações, é de R$ 5,6 bilhões

Último trecho do anel viário será construído em 36 meses com desconto de R$ 1,2 bilhão aos cofres públicos

São Paulo, 12 de março de 2013 - O governador Geraldo Alckmin, o secretário de Logística e Transportes, Saulo de Castro Abreu Filho, e o presidente da DERSA - Desenvolvimento Rodoviário S/A, Laurence Casagrande Lourenço, deram início hoje, 12 de março, em Arujá, às obras do Rodoanel Norte. As empresas vencedoras da licitação (Construtora OAS Ltda, a Acciona Infraestructuras S/A e os consórcios formados pelas empresas Mendes Júnior/Isolux Corsán e Construcap/Copasa) têm 36 meses para concluir o último trecho do anel rodoviário.

O Governo do Estado de São Paulo contratou, em 7 de fevereiro, as obras com 23,1% de desconto frente ao valor de referência da licitação (R$ 5 bilhões). O valor proposto pelas empresas foi de R$ 3,9 bilhões, que representou economia de cerca de R$1,2 bilhão. O valor total do empreendimento, incluindo desapropriações, é de R$ 5,6 bilhões.

A CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental já concedeu a Licença de Instalação para os trechos considerados como Prioridade 1, por considerar que a DERSA atendeu às exigências ambientais prévias ao início das obras nos trechos licenciados.

As intervenções serão realizadas em seis lotes. Cada lote possui extensão e valores diferentes:

 

Extensão

Vencedor

Valor do contrato

Lote 1

6,2 km

Consórcio Mendes Júnior/Isolux Corsán

R$ 647.611.591,06

Lote 2

4,88 km

Construtora OAS Ltda

R$ 604.170.644,64

Lote 3

3,62 km

Construtora OAS Ltda

R$ 601.140.442,61

Lote 4

9,1 km

Acciona Infraestructuras S/A

R$ 788.021.820,59

Lote 5

7,88 km

Consórcio Construcap/Copasa

R$ 646.340.371,22

Lote 6

11,96 km

Acciona Infraestructuras S/A

R$ 619.219.894,43

 

Concorrência

A licitação internacional do Rodoanel Norte foi a maior em andamento no País entre 2011 e 2013. O certame seguiu as normas do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que participou do financiamento com R$ 2 bilhões. A obra tem também R$ 1,72 bilhão do PAC e o restante do Tesouro do Estado.

Dezoito grupos foram pré-qualificados na última etapa da licitação. Entre as vencedoras, se encontram três construtoras espanholas: Isolux Corsán, Acciona Infraestructuras S/A e Copasa.

Sobre o Rodoanel Norte

O Rodoanel Norte é a maior obra rodoviária financiada pelo BID no mundo.


A rodovia terá 44 km de extensão e interligará os trechos Oeste e Leste do Rodoanel. Ele inicia na confluência com a Avenida Raimundo Pereira Magalhães, antiga estrada Campinas/São Paulo (SP-332), e termina na intersecção com a rodovia Presidente Dutra (BR-116). O trecho prevê acesso à rodovia Fernão Dias (BR-381), além de uma ligação exclusiva de 3,6 km para o Aeroporto Internacional de Guarulhos.

O trecho Norte é uma rodovia "Classe Zero" (de alto padrão técnico e controle total de acesso), com quatro faixas de rolagem por sentido entre o Rodoanel Oeste e a rodovia Fernão Dias. O segmento entre a Fernão Dias e a via Dutra terá três faixas de rolagem de 3,6 m de largura em cada pista. A rodovia ainda é provida de canteiro central com 11m de largura e terá velocidade de 100 km/h.

O Rodoanel Norte contemplará toda a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), em especial: Santana do Parnaíba, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha, Caieiras, Mairiporã, Santa Isabel, Arujá, Guarulhos e São Paulo.

Com sua construção o tráfego de passagem, sobretudo de caminhões, será distribuído e desviado para o entorno da Região Metropolitana de São Paulo, melhorando o fluxo nas marginais e consequentemente o trânsito dos veículos de transporte coletivo. Estima-se redução de 23% do VDM (volume diário médio) de caminhões na marginal Tietê, o que representa 17 mil caminhões por dia (conclusão da obra).

O tempo gasto nos congestionamentos e o consumo de combustível serão menores, portanto haverá redução da emissão de poluentes. Calcula-se que quando concluído todo o anel viário a emissão de CO veicular (gases do efeito estufa) diminuirá de 6% a 8% na Região Metropolitana de São Paulo (fonte: Avaliação Ambiental Estratégica do Rodoanel).

  SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES
  Investimentos 2011- 2013
  REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO
  Órgão Valor
  Artesp R$ 606 milhões
  DH R$ 103,5 milhões
  DER R$ 981,8 milhões
  DERSA R$ 1.060 bilhão
  TOTAL - R$ 2 bilhões e 75 milhões

Assessoria de imprensa 

DERSA - Desenvolvimento Rodoviário S/A

Tel: (11) 3702-8110 a 8116

E-mail: transportes@transportes.sp.gov.br

SECRETARIA ESTADUAL DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES